Há cerca de 8 anos esta ferramenta adentrou nossas vidas e vem se tornando fundamental na nossa vida pessoal e profissional.

 

 

Ninguém tem dúvida de que a ferramenta facilita a vida da gente. Em todas as empresas há grupos de conversas de todas as naturezas, os grupos oficiais e os oficiosos. O whatsapp serve para dar suporte aos processos formais, mas também à rádio corredor.

 

Entendo que esse canal ajuda muito a tratar rapidamente assuntos corriqueiros, os quais podem vir a fortalecer as relações de convívio e permitem divulgar e promover certas atividades. E tudo isso pode gerar uma aproximação e uma cultura colaborativa entre os funcionários.

 

O que tem me assustado no dia a dia das empresas é perceber que o whatsapp tem sido usado pelos líderes como a ferramenta de gestão mais importante, aquela que substituiu as conversas presenciais, suplantou, pela natureza da comunicação, as orientações profundas e as diretrizes consistentes. A linguagem do whatsapp é uma linguagem telegráfica, direta e objetiva. Como podemos substituir uma conversa de feedback onde as pessoas se olham, as emoções vêm a tona e a entonação é percebida por uma troca de mensagens por whatsapp ?

 

Muitos líderes têm esquecido a importância de seus papéis ao dar feedbacks negativos individuais em grupos coletivos. Quem gosta de ser exposto? Como este funcionário se sente ao ver seus defeitos exibidos em praça pública? Como fica a motivação desta pessoa?

 

O whatsapp não é um ambiente que permite os questionamentos, que possibilita o contraponto, não é possível haver debate nesta ferramenta. O efeito colateral disso é que as equipes se empobrecem. Os líderes estão estimulando a constituição de equipes que não pensam, não questionam e não criticam, elas simplesmente obedecem aos comandos recebidos.

 

O whatsapp na gestão de equipe é ótimo porque resolve o principal problema dos líderes que é a falta de tempo. Com ela, o líder pode fazer follow up no banheiro, pedir um relatório no elevador e fazer um elogio enquanto coloca o filho no banho. Mas, ele afasta o gestor da sua função mais essencial que é orientar, inspirar e motivar as pessoas na busca dos objetivos. O uso da ferramenta tem efeitos reversos muito graves no dia a dia das empresas e os líderes só percebem isso quando o faturamento cai, os clientes ficam insatisfeitos e os funcionários estão tão infelizes que não há nada que os façam sorrir.

 

A forma como a liderança atua reflete totalmente o sucesso e o insucesso de uma empresa. Depende muito de que tipo de liderança sua empresa quer ter.

 

Leave a Reply